Já lá vão largos meses desde que iniciamos a preparação desta viagem. Para sem mais preciso, foi em Janeiro deste ano que começamos a abrir o nossos mapas. Foi também nessa altura que fomos procurando informação na internet acerca dos locais por onde iríamos passar e, principalmente, informação acerca do nosso destino: a Rússia.

Como é do conhecimento geral, a Rússia não é um país fácil no que diz respeito ao turismo. Por muitos sitios que se procure, tudo aponta para Vistos complicados de arranjar pela burocracia a que estão associados, passagem de veículos nas fronteiras terrestres, Polícia corrupta e implicativa... enfim, um sem número de "coisas" que se lêm em todos os cantos da internet. Em simultâneo, também é possível encontrar relatos de gente que lá entrou, viajou, foi multada :), voltou a viajar e saiu sem problemas de maior. Que maior insentivo precisamos do que este para tentarmos nós também?
"SIGA COM ISSO!!!" - foi o que se ouviu entre duas goladas de Licor Beirão.

Em primeiro lugar tratamos de traçar a rota aproximada da viagem. Logo depois, e com base nessa rota, tratamos de saber quais os países que nos obrigariam a Vistos e papeladas do género. Para nosso espanto só na Rússia é que precisamos de visto. Até a Ucrânia já deixou de pedir qualquer tipo de visto... mas a Rússia também há-de lá chegar... qualquer dia!
Concentramo-nos então no que nos era pedido pela embaixada da Rússia:
1. Passaporte
2. Formulário preenchido (documento próprio para o efeito, escrito a computador, em letras maiúsculas, não rasurado, impresso segundo as instruções dadas)
3. Fotografia (3.5cmx4.5cm obrigatoriamente)
4. Voucher de reserva de Hotel (com data de check-in e check-out, informação pessoal e detalhada das pessoas)
5. Confirmação de agência de viagens Russa (traduzido para Russo)
6. Apólice de seguro médico obrigatório

Após todos os elementos recolhidos lá seguiu tudo para a Embaixada. Cerca de 15 dias depois tinhamos na mão os nossos vistos.

Simultaneamente ("não vá o diabo tecê-las"...) tiramos também a Licença Internacional de Condução.

Outro aspecto a ter em conta é o seguro da moto. Independentemente da nossa carta verde ter a extenção para a Rússia, é OBRIGATÓRIO fazer um seguro na fronteira (cerca de 20€). E segue-se a pergunta obvia:
"Então, se temos de o fazer na hora, não é necessário pedir em Portugal a extenção para a Rússia, correcto?"
Nós pedimos, por via das dúvidas. Mais vale a mais do que a menos. Não vai ser por meia dúzia de Euros que vamos deitar tudo a perder!

O último ponto a salientar é a Importação Temporária de Veículo. Isto não é nada mais do que o mesmo que se faz em Marrocos, por exemplo. Preenche-se um impresso onde especificamos os dados do veículo, data de entrada e data de saída, e guardamo-lo para o voltar a apresentar na saída. Caso não queiramos voltar para PT de autocarro, não convém perder esse impresso! :)

Relativamente a segurança no país já ouvimos de tudo. Uns dizem que é inseguro e que temos de ter muito cuidado! Outros dizem que é tudo pacífico, desde que se tenha consciencia do local onde estamos. Vamos acreditar na segunda opção. Acho que é melhor assim... :)... e quando regressarmos contamos afinal como correu connosco.

 


Comments




Leave a Reply

    Explore Horizons Team

    Somos o Rodrigo e o João, dois amigos com gosto pela aventura e mototurismo. A partir daqui, tudo é possível... :)

    Arquivo

    September 2009
    August 2009

    Categorias

    All